sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Apenas um fragmento...

Quanto a isso, ele não se preocupava. Suas pernas, doloridas como sempre, estavam agora confortavelmente dobradas sob uma cadeira, seus ombros estavam arqueados sobre a mesa enquanto seus braços serviam de apoio para a pesada cabeça. Sua face atenta tinha dois olhos quase secos, que fitavam o vazio da mesa e sua boca pendia entreaberta. Eu não sabia como reagir, estava ali, observando-o sem mexer um músculo, me escondia atrás da minha negra cortina capilar enquanto fingia prestar atenção ao professor, que falava entusiasmado sobre algo relacionado a eletricidade, ziguezagueando entre as carteiras enquanto passeava pela sala.
Fiquei pensando em sair dali, mas por algum motivo, meu corpo não se movia. Talvez fosse o frio. Nevava lá fora e eu podia sentir a corrente gélida de ar passar pela minha nuca como uma lâmina.

Olhei mais atenta para fora e pude ver a neve cobrindo a copa das árvores, formando lisos e belos padrões. Por um canto da janela, pude ver o capô de meu carro coberto por uma camada espessa de neve. "Droga! Agora terei que tirar toda essa porcaria daí antes de entrar no carro, e vou me molhar..." pensei choramingando. Eu detestava ficar molhada, principalmente em dias frios. Coisa que não era incomum naquela cidade chuvosa, vazia e cinzenta, onde eu estava morando, contra a vontade, agora.

2 comentários:

lucas disse...

Simplismente solto...porem...concreto...pedro tu eh foda *-*

Luchi

Pedro Clini disse...

Foi pelo "calor da leitura" que eu acabei escrevendo isso... nem ia colocar aqui exatamente por isso, mas como foi meu primeiro texto em 1ª pessoa, resolvi postar. .-.